Make your own free website on Tripod.com

• Home • Acima • História da Igreja Adventista no Brasil • História da Igreja Adventista no Mundo • História das Classes • História das Especialidades • História de João Nevins Andrews • História dos Camporis • História dos Desbravadores na América do Sul • História dos Desbravadores no Brasil • História dos Desbravadores no Mundo • Primeira Visão de Ellen White •

História dos Desbravadores na América do Sul

 

Quando a mensagem adventista entrou no Peru em 1889, mais ou menos 68 anos após a independência, ninguém sonhava com que o céu havia planejado para o futuro do país. Os anos passaram, a igreja cresceu até chegarmos no ano de 1955. Um grupo de jovens que assistia à Igreja de Miraflores, perto de Lima, ouviu com muito interesse sobre a existência de um grupo de jovens e adolescentes organizados num Clube chamado Desbravadores, que se envolviam em diversas atividades especiais para sua idade.

O interesse cresceu rapidamente, as informações chegaram e foram passadas adiante e os sonhos começaram a ser formulados. Então, alguns dos líderes de jovens da igreja decidiram que era tempo de tomar coragem e estabelecer um Clube de Desbravadores moldado em solo peruano, sob a liderança e encorajamento do irmão J. Von Pohle, então diretor de jovens da União Incaica. Os líderes desse novo Clube eram um jovem casal, Nercida Ruiz (Diretora do Clube) e seu marido Armando, Sra. Phil, Segundo Guerra, Moises Rojas, Leonardo Pinedo e Sra. Ruf. Esse pequeno grupo de pioneiros se reuniu e se empenhou na tarefa de estabelecer o que tornou-se o primeiro Clube de Desbravadores no Peru e na América do Sul.

Sob a liderança de Nercida, (também a primeira diretora do clube na América do Sul) o primeiro problema que eles enfrentaram foi à escolha de um nome. Várias opções foram consideradas, como "Crianças Exploradoras", "Exploradores de Trilhas", "Conquistadores" e outros. Foi escolhido o nome "Conquistadores" pelos seus significados potenciais. Assim eles formaram um clube onde as crianças podiam "conquistar o mundo para Cristo", "conquistar novos amigos" e como membro do primeiro clube, a Sra. Nira Florian, lembra, "Conquistar o Reino do Céu". O novo nome também estava em harmonia com o objetivo da liderança que era oferecer aos jovens, adolescentes e juvenis da igreja, atividades de acordo com sua faixa etária visando o seu desenvolvimento total e harmônico, dando-lhe oportunidades de testemunhar por Jesus.

Quarenta e quatro anos se passaram desde aquele início e podemos agora olhar para trás e avaliar os resultados. Alguns daqueles primeiros membros agora são líderes de outros clubes organizados nos anos subseqüentes. Dentre estes estão os líderes do clube da Igreja da Avenida España que mantém um registro ininterrupto de funcionamento, sendo o segundo clube a ser estabelecido em Lima e o segundo na América do Sul. Outros membros viajaram para além de nossas fronteiras e ainda continuam a trabalhar em favor dos jovens da igreja. Outros são pastores aqui e muitos são "apenas" membros comuns que apóiam totalmente a obra de suas igrejas locais.

As atividades desse primeiro Clube foram cheias de aventuras. As atividades do clube incluíam reuniões especiais que tratavam de um tema apropriado para a faixa etária e muitas reuniões apresentavam os ideai dos Conquistadores como o Voto e a Lei. Lugares com abundante vegetação eram pesquisados (uma tarefa nada fácil na costa desértica do Peru) e assim esse tempo era gasto junto á criação de Deus. Cultos de pôr-do-sol no sábado, juntamente com votos de renovação ao serviço e decisões de fidelidade a Deus que ainda estão na memória dos membros antigos do Clube. Os grandes acampamentos, as histórias lendárias contadas ao redor da fogueira, as competições amigáveis e a camaradagem cristã ainda permanecem vivos na memória. As classes de artesanato que resultaram em souvenirs: luminárias, mata-moscas, lenços elegantes, álbuns de fotos, porta-moedas, almofadas para alfinetes e uma variedade exótica de outros objetos que eram postos em exibição e então comprados pelos pais e outros visitantes interessados em conhecer do que se tratava o clube.

Alguns membros do clube também se lembram de classe de culinária na qual foram ensinados a fazer deliciosos pratos peruanos juntamente com algumas especialidades internacionais. No encerramento do curso, os pais foram convidados para um banquete especial preparado por seus filhos - isso causou um forte impacto nos pais, tanto quanto nas crianças.

Não podemos deixar de mencionar a primeira classe batismal durante o segundo ano, liderado pelo marido da Sra. Nercida, Armando. Seus esforços resultaram nos primeiros dez desbravadores sendo batizados naquele ano. Este foi um marco que resultou em uma carta especial de felicitações enviada pelos administradores da Divisão Sul Americana.

Um dos maiores problemas enfrentados pelos líderes de jovens foi à decisão pelos uniformes e por sua obtenção. Finalmente decidiram pela cor caqui para os meninos e para as meninas eles tingiram o tecido de verde escuro para as saias que serão usadas com blusas brancas. Hoje ainda existem alguns dos quepes "estrangeiros" que eles usavam. Mas a despeito de todo o trabalho, logo foram capazes de trajarem todos os 40 membros com trabalhos impecáveis. O aspecto vistoso do clube, com seus elegantes uniformes e bandeiras agitadas provocaram muitas exclamações dos curiosos e despertou o desejo em muitas crianças de fazerem parte do clube.

Hoje, após quatro décadas de existência, contamos com um verdadeiro exército de jovens e mais de 150 Clubes de Desbravadores no país, todos com os mesmos objetivos. Todos cantando com grande entusiasmo: "Conquistadores somos, los siervos del buen Jesús". Eles sobreviveram aos muitos anos das sérias dificuldades criadas pelos grupos políticos subversivos no país. Temos orgulho de termos sido os pioneiros e de ainda fazermos parte dos mais de 100.000 desbravadores da Divisão Sul Americana.

Aproveitamos esta oportunidade para expressar nossa gratidão a Sra. Nercida Ruiz, a Deus e aos outros jovens visionários por seus esforços que nos leva a dizer literalmente com Jesus: "Tudo o que o homem semear, isso também ceifará".

 

Texto compilado da apostila “Uma eterna Aventura - 50 Anos de História” da UCB

 

Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Jackson Alexandre Silva